Estamos em Portugal – Veja webcam ao vivo do local do evento

21 02 2009

Gente de Deus, estamos desde ontem na Ilha de São Miguel na Região Açoriana (conjunto de ilhas portuguesas) e logo mais à noite faremos um show super especial para os portugueses de cá…

Esta missão é super especial, pois ao chegarmos já pudemos sentir como a nossa música é conhecida por aqui e tivemos uma experiência maravilhosa de conhecer bem no dia de ontem o trabalho do Pe. Jason, o responsável por nos trazer pra cá.

Ele administra uma paróquia que, como todas aqui na Europa carecm de meios para atrair a juventude e pudemos sentir de perto essa necessidade. É por isso mesmo que ele ousa em realizar a segunda edição da Festágape evento que acontece em pleno período de carnaval, o que não é muito comum para a cultura conservadora de Portugal.

O Açores Arena, local do evento é a maior casa de eventos da ilha e é lá que vamos nos apresentar logo mais com transmissão ao vivo via rádio pela internet e você poderá acompanhar a partir das 18h (horário de Brasília) clicando na imagem abaixo você escutará o audio do evento:

Acompanhe, espalhe para os seus e acompanhe a nossa missão por aqui.

Segue abaixo as fotos dos batidores da nossa passagem por aqui, depois a gente coloca mais detalhes. Click na imagem para ir à galeria de fotos:

Bastidores Portugal
Anúncios




Carnaval – Brincadeira portuguesa, com certeza

21 02 2009

Pois é povo de Deus, a gente está no dia de hoje em Portugal participando de um retiro de carnaval pra Juventude e logo mais a noite faremos um show especial por aqui, terra que exportou o carnaval brasileiro.

Vai dizer que você não sabia?

Em seus primórdios, no século 17, o Carnaval do Brasil não tinha música nem dança, brincava-se o entrudo, herança da colonização portuguesa. É daí que veio o costume das “guerras de água”. Mas a artilharia daqueles tempos muitas vezes era mais pesada, com direito não só a baldes e latas d’água, como também a lama, laranjas, ovos e limões-de-cheiro – pequenas bolinhas de cera fina recheadas com água e outras substâncias…

O pior de tudo é que em algumas cidades do interior a gente ainda vê essas coisas, e também com ovos podres e mais coisas nojentas.

Vamos ter cuidado né gente porque isso pode dar uma confusão que valha-nos Deus!





Como surgiram o confete e a serpentina?

19 02 2009

Essas “armas” da folia carnavalesca já eram usadas na metade do século 19 nos bailes de máscara em vários países da Europa. No Brasil, elas apareceram um pouco mais tarde, por volta da década de 1890.

O confete chegou ao Rio de Janeiro junto com o costume dos corsos – carros decorados, também importados da tradição européia, que desfilavam carregados de foliões. Na época, o confete e o corso foram comemorados pelos jornais como símbolos de civilização. Também, pudera: nos primeiros tempos do nosso Carnaval, as brincadeiras eram inspiradas no entrudo, uma folia herdada de Portugal que envolvia água, lama e outras nojeiras.

Nesse sentido, as batalhas de confetes eram muito mais limpas e inofensivas. A mesma coisa vale para as serpentinas. Elas também surgiram mais ou menos na mesma época, inspiradas pelas chamadas “bolas carnavalescas”, que estrearam no Carnaval de 1878.
“Algumas dessas bolas eram de papel de seda e se desfaziam ao serem jogadas”, afirma a historiadora Rachel Soihet no livro A Subversão pelo Riso.